Segunda-feira
30 de Março de 2020 - 

NOTÍCIAS

Newsletter

Cadastre-se para receber atualizações, notícias e artigos.

21/02/2020 - 17h26Justiça nega pedido de bloco e de liminar coletivaJuiz considerou que partes não podem fazer pedido pois caminhão está em nome de terceiro

Carnaval em Belo Horizonte: decisão judicial sobre caminhão de som apreendido e liminar coletiva não atende solicitação de blocos A Justiça mineira negou pedido feito em mandado de segurança pelo Bloco Alô Abacaxi e pela empresa Emer-Som LTDA – ME para determinar a liberação de um caminhão de som apreendido e para autorizar que o veículo possa realizar seu cortejo do bloco. A decisão, desta sexta-feira (21/11), é do juiz Mauro Pena Rocha, titular da 4ª Vara de Fazenda Pública e Autarquias de BH. Também foi negado o pedido de liminar coletiva para determinar que o Detran e a Polícia Militar se abstenham de exigir a alteração da categoria “caminhões palco”, que possuam regular Autorização de Tráfego de Veículos Especiais – ATVE, durante o período do carnaval, compreendido entre 21/02/2020 e 26/02/2020, permitindo a realização dos cortejos carnavalescos programados. Terceiro Em sua fundamentação, o magistrado destacou que não restou demonstrado que o veículo apreendido seja de propriedade da Emer-Som, conforme alegado na inicial, uma vez que o documento do veículo demonstra que ele está registrado no nome de um terceiro e o contrato apresentado foi firmado entre o Bloco Carnavalesco “Alô Abacaxi” e a Emerson-Ltda. “Dessa forma, considerando que o veículo em questão encontra-se registrado em nome de um terceiro, sem que fosse trazido aos autos qualquer contrato entre este terceiro e os impetrantes, sobre o veículo de placa JWI - 7023, constata-se que eles são partes ilegítimas para figurar no polo ativo da presente ação, impondo-se a extinção do feito sem resolução do mérito, com denegação da ordem”. Acesse aqui a íntegra da decisão. Acompanhe o andamento do processo 5030001-70.2020.8.13.0024 no Sistema PJe.   
21/02/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia