Segunda-feira
09 de Dezembro de 2019 - 

NOTÍCIAS

Newsletter

Cadastre-se para receber atualizações, notícias e artigos.

18/11/2019 - 12h42Em Patos, solidariedade à ApacFora da agenda, presidente visita Apac para apoiar trabalho da entidade

Recuperandos da Apac de Patos de Minas, criada em 1983, receberam pela primeira vez a visita de um presidente do TJMG Uma visita à Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) marcou o encerramento da primeira viagem oficial do presidente do TJMG, desembargador Nelson Missias de Morais, a Patos de Minas, na última semana. Não incluída na agenda inicial, a visita foi iniciativa do presidente, para reafirmar o apoio incondicional do Tribunal ao método apaqueano, diante de fortes pressões que a entidade local vem sofrendo de alguns setores. “As Apacs são um projeto estratégico do Tribunal de Justiça de Minas Gerais”, reafirmou o presidente, que renovou a disposição de continuar apoiando integralmente todas as organizações do gênero existentes em Minas. Recebido pela direção da Apac e pelos 52 recuperandos atualmente ali residentes, o presidente recebeu manifestações unânimes pelo gesto de solidariedade. “Esta é a primeira vez que nossa Apac, criada em 1983, recebe a visita de um presidente de Tribunal”, disse o juiz Melchíades Fortes da Silva Filho, que antecipou manifestações similares do promotor Paulo Henrique Delicole; do presidente da Apac, Hugo Leonardo Messias; do presidente do Conselho da entidade, Hugo Damasceno Lucas; e do prefeito de Patos, José Eustáquio Rodrigues Alves. O presidente esteve acompanhado pelos desembargadores Gilson Soares Lemes, superintendente administrativo adjunto, e Amaury Pinto Ferreira. A Apac de Patos de Minas possui uma horta que abastece toda a unidade Visita marcante A visita foi fortemente marcada pelo corajoso depoimento do promotor Paulo Henrique Delicole, um paranaense adotado por um casal de mineiros poucos meses após o nascimento, em um bordel, e que veio para Minas Gerais depois passar em concurso para o Ministério Público. “Escolhi Minas para retribuir o carinho de meus pais adotivos, que me deram a oportunidade de viver”, disse. Ele revelou ter tomado conhecimento da existência das Apacs em Canápolis e se encantou com o método. “O método da Apac nada mais é do que o cumprimento estrito da Lei de Execução Penal”, afirmou, ao lembrar que a lei prevê tanto a punição quanto a ressocialização do condenado e é isso que a Apac faz, enquanto o método tradicional só cuida da parte punitiva. Delicole reconheceu que “o primeiro olhar do promotor quando à possibilidade de recuperação de algum criminoso é sempre de desconfiança” e isto ocorre com a maioria dos profissionais, antes de se inteirarem do funcionamento das Apacs. Ele revelou que tem sido vítima de parcela desses desconfiados, que chegaram, inclusive, a fazer representação contra ele junto ao MPMG, com falsas imputações. Remanescente do sistema prisional tradicional, o atual presidente da Apac, Hugo Messias, disse acreditar na utopia de ver as Apacs autossustentáveis com a produção dos próprios recuperandos. A Apac de Patos está próxima disto, segundo ele, pois atualmente está construindo uma padaria e uma marcenaria, para produção e treinamento dos recuperandos, e se preparando para ampliar sua capacidade para 184 recuperandos já em 2020. Todas as obras estão sendo custeadas com recursos das prestações pecuniárias destinadas à entidade pelo TJMG. A Apac de Patos de Minas possui 52 recuperandos que participam de inúmeras atividades de estudos e reflexão Recomeço A Apac de Patos abriga também uma extensão da Escola Estadual Antônio Dias Maciel, cuja diretora Maria Aparecida Fernandes coordena o processo educacional dos recuperandos. Em seu depoimento, ela disse ter enfrentado resistências quando optou por abrir na Apac uma extensão da escola, que é uma das mais tradicionais da cidade, com cerca de 1.300 alunos, “por puro preconceito”. O prefeito José Eustáquio Rodrigues Alves também se manifestou, renovando sua disposição de manter e ampliar o termo de parceria que firmou com a Apac, para dar emprego aos recuperandos em obras da Prefeitura. Disse que desde o final de 2018 vem utilizando a mão de obra deles na recuperação de ruas da cidade, em um programa “altamente bem-sucedido”. A visita foi encerrada de pelo presidente Nelson Missias de Morais que, emocionado, disse aos recuperandos que “todos têm um começo na vida, mas o recomeço é só para os grandes, para os fortes”. E concluiu: “vocês são fortes”.  
18/11/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia