Segunda-feira
14 de Outubro de 2019 - 

NOTÍCIAS

Newsletter

Cadastre-se para receber atualizações, notícias e artigos.

17/09/2019 - 16h37Setembro é amarelo no Cejusc de BHSetor processual adere à campanha de prevenção ao suicídio

Desde a última sexta-feira, 13 de setembro, quem chega a um dos balcões de atendimento do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) de Belo Horizonte se depara com uma decoração inusitada. Toda a equipe do setor processual "vestiu a camisa" do Setembro Amarelo É que a secretaria do setor processual aderiu ao Setembro Amarelo, campanha nacional de prevenção ao suicídio, e enfeitou toda a secretaria com fitas e balões amarelos. Logo na entrada da secretaria foi montado um banner com mensagens do tipo: “Você tem valor”, “Não desista de você”, “Você não está sozinho”, “Não tenha medo de pedir ajuda”, e muitas outras, mensagens de incentivo para quem estiver deprimido ou passando por uma fase ruim. A ideia de enfeitar o ambiente e expor as mensagens foi da coordenadora do setor processual, Maria José Fernandes Galizes, que procura aderir a todas as campanhas solidárias. “Sempre planejo alguma ação para o Outubro Rosa, o Novembro Azul... gosto de colaborar da maneira que posso”, diz. Porém, para Maria José, o Setembro Amarelo a motivou de maneira especial. “Fiquei muito impressionada com as estatísticas pulgadas pela imprensa. Dizem que, a cada quatro segundos, uma pessoa se suicida no mundo. Esse número é impressionante!” No Cejusc de Belo Horizonte, são realizadas em média 250 audiências por dia. Das cerca de 600 pessoas que visitam o prédio, a maioria passa em frente à secretaria do setor processual, no segundo andar, pois as salas de audiência ficam no piso superior. Dessa forma, Maria José considera que essas ações podem alcançar um bom número de pessoas. “Geralmente, quem procura o Centro Judiciário encontra-se apreensivo, pois está em busca da resolução de algum conflito. Acho muito importante as pessoas se sentirem acolhidas, por isso temos sempre alguma balinha para oferecer”, ressalta Maria José. Segundo ela, às vezes basta um simples gesto para que a pessoa se sinta amparada, para que perceba que ainda existem pessoas solidárias, que se preocupam com o sofrimento alheio. Ouça o podcast com as informações sobre a campanha no Cejusc de Belo Horizonte:  
17/09/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia