Terça-feira
10 de Dezembro de 2019 - 

NOTÍCIAS

Newsletter

Cadastre-se para receber atualizações, notícias e artigos.

13/11/2019 - 13h37Consumidora será indenizada pela CopasaMoradora de BH ficou seis dias ininterruptos sem água

Racionamento de fornecimento de água durou 45 dias, e destes, seis dias ficaram totalmente sem abastecimento Uma consumidora que ficou sem fornecimento de água durante seis dias será indenizada em R$ 2,5 mil pela Copasa por danos morais. A decisão é da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O caso aconteceu na Comarca de Belo Horizonte, em 2011. A consumidora contou que, desde o início de novembro do mesmo ano, a água era racionada durante o dia e fornecida somente de madrugada. Ela também relata que o racionamento permaneceu por 45 dias, sendo que nesse período ela sofreu com a total falta de água por seis dias. A apelante defendeu a existência de danos morais, alegando que a prestação de serviços públicos deve atender aos cidadãos de maneira eficiente e afirma que isso não aconteceu, pois ficou sem água para tomar banho, beber, fazer comida e manter a higiene pessoal, da casa e de sua família. Segundo a consumidora, a empresa foi alertada, mas ficou inerte em relação às reclamações da autora. A Copasa isentou o pagamento da conta de água da autora, mas de acordo com ela, isso compensa apenas o dano material sofrido, sem minimizar o abalo moral. O relator do processo, desembargador Maurício Soares, afirma que na atividade de fornecimento de água a ocorrência de vazamentos é previsível, mas cabe à concessionária efetuar a fiscalização e manutenção de sua rede adutora, prevendo eventuais contratempos e evitando a interrupção do serviço. Sendo assim, fixou o valor de R$ 2,5 mil de indenização por danos morais, decisão apoiada pelos desembargadores Elias Camilo Sobrinho, Judimar Biber e Jair Varão. A desembargadora Albergaria Costa alega que a apelante não provou os danos morais sofridos, que consistem em ofensa à direito de personalidade, de forma inpidual, subjetiva e psíquica, não se confundindo com mero aborrecimento ou insatisfação. No entanto, seu voto foi vencido pelos demais desembargadores. Veja o acórdão e acompanhe a movimentação do processo.  
13/11/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia