Segunda-feira
25 de Março de 2019 - 

NOTÍCIAS

Newsletter

Cadastre-se para receber atualizações, notícias e artigos.

12/03/2019 - 07h42Presidente do TJMG e a defesa do Poder JudiciárioTribunal mantém sua postura de controle de gastos e de pacificar conflitos

O presidente Nelson Missias de Morais diz que o TJMG tem sido absolutamente rigoroso no controle de gastos. O presidente do TJMG tem manifestado preocupação com o crescente noticiário, em grande parte da mídia, colocando o Poder Judiciário como um dos grandes responsáveis pelas dificuldades financeiras nos âmbitos federal e estadual, por gastos supostamente excessivos com pagamento de pessoal. Segundo o desembargador Nelson Missias de Morais, as acusações são injustas no caso de Minas Gerais, pois o TJMG tem sido absolutamente rigoroso no controle de gastos e nas concessões a servidores e magistrados. Ele lembra que os magistrados ficaram quatro anos sem reajuste, desde janeiro de 2015 até a recente correção aprovada pelo STF e que os servidores tiveram reposição de 3,50% a partir de maio/2016, antes dos 3,20% retroativos a maio/2017, somente aprovado em dezembro de 2018. Todos os reajustes e pagamentos foram feitos estritamente em obediência à legislação. O presidente lembra ainda que o TJMG já eliminou o pagamento do auxílio-moradia aos magistrados e tem feito enorme esforço para reduzir as despesas de custeio e manutenção, em especial com investimentos em tecnologia e sustentabilidade, eliminando gastos com impressões e tramitação de papel e com as contas de água, luz, aluguéis, entre outros. Paralelamente, o TJMG tem feito grande esforço para expandir o número de comarcas e oferecer condições dignas de trabalho aos servidores, com a construção de novos fóruns e reforma dos mais antigos, “que são absolutamente indispensáveis”. O TJMG, conclui o desembargador, “está plenamente consciente das dificuldades de Minas e do país e manterá sua postura de total solidariedade com os demais Poderes e com a população sem cometer excessos, mas também sem afastar-se de suas obrigações com os servidores e magistrados e com a entrega de uma prestação jurisdicional célere e eficaz, como já tem feito”.  
12/03/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia